Marte e Terra - Flowchart de ficção científica

Landing Pageintrodução à narrativa, onde pomos o ponto de situaçãoa este ritmo, a terraformagem é a nossa última esperança para mantermos o nosso estilo de vida, mas é um processo muito lento e não é garantido que resolva os nossos problemasracionamos a alimentação e o uso de energia não relacionado com a missão e continuamos a desenvolver tecnologia que nos possa ajudar no futurofazemos o último e maior esforço em energia para conseguirmos terraformar o planeta e reduzirmos a nossa dependência de energia no futuromudamos genéticamente as plantas para que elas cresçam mais rápidamente a produção de energia é insuficiente, precisamos de ajuda externa para garantir que temos energia para as nossas atividades diárias, por isso tentamos fazer um acordo com uma outra base, mas eles pedem que nós lhes fornecemos comida em trocanão aceitamos o acordo, porque para isso vamos precisar de ainda mais energia para lhes fornecer comida, e isso só nos torna mais dependente delescria-se uma rivalidade entre bases que gradualmente evolui para um conflito tecnológico, consequentemente, o gasto de energia torna-se cada vez mais difícil de geririnvestimos menos energia em tecnologia nova e dezacelaramos o ritmo da missão para conseguirmos manter o mesmo nível de consumocom as poucas chances de conseguimor efetivamente terraformar Marte, alteramos o nosso DNA para nós nos adaptarmos ao planeta, apesar de isso significar que não devemos voltar à Terra.sim, temos que adaptar o planeta para que se adeque ao nosso estilo de vidaas nossas atividades acordaram agente patogénicos, e um virus espalhou-se, como nos sustentamos enquanto estamos em lockdown e temos menos pessoas a trabalhar no departamento alimentar?racionamos os alimentos, todos comem um pouco menos para que o ritmo da produção seja sustentávelaceitamos o acordo e conseguimos criar uma relação interdependente entre comunidades mas mais próxima e pronta a ajudar uns os outrosfinal distópicoOs seus esforços apressados revelam que até a terraformação acaba por ser um sistema insustentável que apenas funciona durante algumas décadas, (apesar de libertarmos gases precisos para a atmosfera, eles acabam por serem corroídos e voltar para o subsolo permanentemente).Os humanos vêm-se então obrigados a modificarem o seu DNA para que possam sobreviver em Marte sem terem de depender de tecnologia para respirar e combater novos agentes patogénicos, mas isso não deixa de exigir tecnologia para poderem produzir alimento e terem abrigo do clima estranho do planeta. A energia e tecnologia tornam-se então bens preciosos pelos quais as bases lutam entre si.Marteexiste vida em Marte, terraformamos o planeta na mesma?não, temos que preservar o sistema do planeta como ele é o máximo possívela estação de tempestades aproxima-se e prevê-se que bloqueie a luz do sol durante algum tempo, indisponibilizando os painéis solares, vamos contar apenas com os nosso geradores ou aproveitamos o vento para gerar energia de forma renovável?contamos apenas com a energia dos nossos geradores, independentemente da duração da tempestadenão chegamos a acordo, a nossa missão não tem nada a haver com a deles e por isso não vamos contribuir para os ajudar de forma nenhumaaproveitamos o vento das tempestades para gerarmos uma nova fonte de energia renovável e produzida precisamente quando mais precisamosuma outra base começou a explorar uma zona da superfície demasiado perto das nossas estufas, podendo influenciar o solo e a nossa fonte de alimento, por isso é preciso negociar limites, mas eles pedem que lhes fornecemos mão-de-obra e tecnologia para os ajudar a localizar outro local para continuar a sua missãodividimos o território pelas duas bases, cada uma com apenas o espaço que precisa, sem ifluenciar o espaço da outraaceitamos o seu pedido, em conjunto arranjamos outro local para a sua missão, arranjando assim um potencial aliado que nos possa ajudar no futurocom a chegada de novos recrutas da Terra à nossa estação, é preciso expandir a nossa base, mas no processo acabamos por ficar bastante perto dos limites das intalações da outra base, por isso vamos negociar o uso daquele territóriopomos o departamento de tecnologia dedicado exclusivamente a isso, deixando a missão de lado durante um bocadoa nossa antena de comunicação ficou danificada com a última tempestade de areia e não conseguimos contactar a Terraunimos ambas as bases e usamos de forma igual o mesmo espaçopedimos ao pessoal da outra base que disponibilizem a sua antena enquanto equilibramos a missão e o conserto da antenafinal utópicoAs bases vivem em harmonia, ajudando-se mutuamente sem deixar de trabalhar cada uma na sua missão.Os humanos conseguem desenvolver uma grande comunidade no novo planeta, tornando Marte um planeta habitável sem o destruir, assim como o primeiro destino de férias fora da Terra, evoluíndo mais tarde para o segundo planeta onde a qualquer um da espécie humana pode ter morada permanente.apesar de todos os esforços, precisamos de continuar a inovar, e consequentemente de mais energia. o Ártico agora derrete no verão, e as condições de exploração de petróleo são suportáveis e pode-se de fazer um último investimento, ou mudamos para combustíveis elétricos?favorecemos as empresas, mas não deixamos de se investir nas empresas e na tecnologia para que se possa continuar a consumir sem grandes alterações mas mitigando as alteraçõesmudamos para combustíveis elétricos embora desacelere o nosso desevolvimento tecnológico e demoremos mais tempo a alcançar os nossos objetivosfazemos um último investimento no petróleo e temmos lucro rápido para conseguirmos reenvestir no desenvolvimento tecnológicoos governos vão ouvir o que o planeta pede ou que as empresas pedem?Terracom essa mudança, o sistema de produção é também reformado e o lucro deixa de ser o central, mas sim a qualidade e durabilidade dos produtos, para além do impacto ambiental com a redução da atividade de indústrias poluentes, todo o pessoal que ficou sem emprego foi recambiado para novas empresas verdeso que o planeta pede, e reduzimos a atividade das indústrias poluentes consequentemente reduzimos o consumo em excessoos primeiros resultados desta mudança começam a ser visíveis, vamos mais longe e, investimos na educação para uma mudança radical de mentalidade, ou investimos na tecnologia para o conforto económico de antigamente?mudança de mentalidadeinvestimento na tecnologia O nosso estilo de vida evoluíu ao ponto de consumimos tão pouco da Terra que grande parte dos espaços verdes antes ocupados pela indústria foram deixados ao abandono. Com o objetivo de restaurar a biodiversidade do planeta e nos apróxiamrmos mais com a Natureza, construímos habitação com arquitetura bio respeitando a flora e fauna natural do território, ou deixamos os espaços recuperarem a seu ritmo e se tornarem totalemnete selvagens?o nosso estilo de vida começa novamente a acelarar e a voltar gradualmente ao ritmo de antes, mas o conforto é de pouca duração pois começam a haver descuidos no tratamento de desperdício e as temperaturas do planeta voltam a subir, o que fazemos?através de arquitetura bio convivemos e respeitamos a Naturezaapesar de todos os esforços tecnológicos que nós fizemos em volta do ambiente, não resultou então decidimos mudar-nos a nós mesmos e fundir com a tecnologia para nos aperfeiçoarmos, contudo só as classes mais altas são os únicos que podem fazer estas transformaçõescriamos metodologias para reutilizar o desperdício e fazer frente à descrença da população quanto à realidade de estarmos a voltar ao que éramos antesdeixamos a Terra recuperar o seu estado selvagem ao seu ritmofinal utópicoA Humanidade vive em harmonia com a Natureza, e essa harmonia é mantida através de ações sustentáveis diárias. A biodiversidade é gradualmente restaurada, e os humanos são educados desde cedo para manterem uma filosofia que privligia a ordem e o equilíbrio do planeta.Todas as comunidades (humanas e animais) partilham o mesmo espaço em segurança e são cada vez mais próximos não deixando lugar para o medo ou ganância muito menos a violência.final distópicoPara impedir que a situação da Humanidade se descontrolasse e voltasse a descambar, começou a ser imposto um controlo cada vez maior por parte das autoriedades, chegando mesmo a ameaçar a privacidade das pessoas.A desigualdade de classes amplificou-se cada vez mais à medida que a indústria de tecnologia solucionadora de problemas evoluiu, criando uma elite poderosa e desafogada, que contrasta com uma população cada vez mais empobrecida e sufocada que luta tanto pela liberdade como por recursos básicos.
48