SINDROME CORONARIANA AGUDA

SCA
SEM SUPRA / ECG normal
SUPRADESNÍVEL DE ST
ANGINA INSTÁVEL
IAM sem supra
IAM com supra
Espasmo coronariano
Provável placa de ateroma se instabilizou
Isquemia > 20 min, dor anginosa, sem lesão celular
Sem supra no ECG ou biomarcadores no soro
Isquemia >20 min, dor anginosa, com lesão de cardiomiócitos
Biomarcadores positivos!
Troponina ultrassensível (detectada com 1 hr do evento isquêmico)
BIOMARCADORES
Mioglobina: não se pede! Indica lesão em qualquer sistema do organismo
Troponina: identificada depois de 6-8hrs. Dosagem seriada de 3 em 3 hrs
CKMB: sobe em 3 hrs. Indicada para avaliar reinfarto, oclusão coronariana, ou trombose de stent.
Troponina ultrasensível: sobe com 1 hr do evento isquêmico
FATORES DE RISCO
Sexo masculino
HAS, DM, dislipidemia
Tabagismo
>45 anos (homem)
>55 anos (mulher)
história familiar de doença CV
FATORES EMERGENTES
DRC
HIV com uso de TARV
Terapia de reposição hormonal
Doenças inflamatórias
Cocaína e anfetaminas
MANEJO DOR ANGINOSA
MORFINA: deve ser usada em último caso! Interação com antiagregantes plaquetários (clopidogrel, prazogrel)
OXIGÊNIO: se SAT <90% ou sinais de desconforto respiratório
NITRATOS: SL (3 tentativas), EV pacientes com dor refratária
AAS: DEVE ser usado em todos os pacientes com suspeita de SCA (200-325mg)
CLOPIDOGREL: terapia combinada com AAS
BETA-BLOQUEADORES: DEVE ser usado! Reduz inotropismo e cronotropismo. Contraindicação: broncoespasmo franco, choque cardiogênico, bloqueios AV
ESTATINA EM ALTA DOSE: estabilizar placa
ANTICOAGULAÇÃO: hemofol 5.000UI EV
IECA: devem ser sempre considerados. Previnir remodelamento do coração (cônico->esférico). USAR PELO MENOS 30 DIAS APÓS O EVENTO - independente de ser hipertenso ou não
MANEJO = MOVE + MONACB
AAS EM DOSE DE ATAQUE + INIBIDOR DA P2Y12
NITRATO SL (contraindicado: suspeita de infarto de VD, hipotensão, uso de sidenafila nas últimas 24hrs)
Morfina EV (se dor refratária)
ELEVAR CABECEIRA
BETABLOQ E ESTATINA
ANTICOAGULAÇÃO
Coronária fechada!
ECG: olhar repolarização ventricular ST e T!
ECG
V1+V2= parede septal
V3+V4= parede anterior do VE
V5+V6= parede lateral do VE
Olhar 2 deriv contíguas!
Supra em D2,D3 e aVF= lesão na parede inferior (pode ser VD, parede septal ou território póstero inferior de VD) - fazer novo ECG! Não se dá nitrato quando suspeita lesão de VD!
TEMPO PORTA-BALÃO <90min: CATETERISMO
TPB >90min: fibrinólise - tempo porta-agulha de 30 minutos
Melhora com nitrato! Supra desaparece do ECG - FAZ CAT MESMO ASSIM!
Escore de risco para considerar CAT
>4 pontos = CAT
Considerar CAT, quando:
Dor anginosa refratária
Alterações dinâmicas no ECG
Instabilidade hemodinâmica
Sinais de ICC
PROCESSO DE ISQUEMIA
1.
Lesão subendocárdica: Onda T positiva e simétrica
2.
Lesão subendocárdica: INFRA DE ST
3.
Lesão transmural: SUPRA DE ST
ECG
Acesso venoso
16